Quando há algo de errado com um filho, os pais o levam ao médico para saber o que se passa. Pode ser algo leve, que desaparece sozinho ou uma doença ou reação que precise de medicamentos. No entanto, mesmo que esses profissionais de saúde estudem tanto, também estão sujeitos a cometer erros. Um caso de equívoco médico aconteceu com o filho de Danielle McNair, de LaGrange, na Geórgia.

Seu filho Mason teve uma erupção misteriosa no mês passado, mesmo depois de ir ao médico e tomar uma rodada de antibióticos. Ela pediu ajuda e suas preocupações foram ignoradas, foi quando decidiu fazer algumas pesquisas por conta própria, o que provavelmente salvou a vida de seu garoto.

Sua história é impressionante e dá até arrepios. Se há um conselho que todos os pais devem seguir, é este: confie no seu instinto de proteção…

Tudo começou quando o menino foi visitar seus avós e logo notaram que o menino havia pego um carrapato. Imediatamente o ectoparasita, que estava no umbigo de Mason, foi removido e então a mãe o levou ao médico para tomar antibióticos. “O local da mordida logo ficou infectado e muito vermelho”, escreveu McNair em um post no Facebook.

Passado alguns dias, Danielle notou que algo estava muito errado com o menino. Ele começou a ter outros sintomas, incluindo fadiga, diarreia, febre, dor de cabeça e dor em seu abdômen. “No último dia dos seus medicamentos, de repente, teve uma erupção da cabeça aos pés. A erupção começou domingo por volta do meio-dia, que foi 10-14 dias após a mordida inicial do carrapato. No início, a erupção parecia que era apenas uma erupção de calor, mas depois de 8-10 horas estava piorando. Na manhã seguinte, quando acordou, tinha piorado cada vez mais”.

Ela então levou seu filho de volta ao médico e eles foram mandados para casa, mas essa mãe seguiu seu instinto e foi pesquisar e comparar os sintomas das várias doenças que são transmitidas por carrapatos, com as reações do filho.

Fomos ao médico imediatamente e eles acreditavam que era uma reação retardada ao antibiótico que ele acabou de levar e nos mandou para casa. Bem… Eu não estava satisfeito com essa resposta e nem a minha irmã, que me disse que precisavam de fazer um painel de doenças de carrapatos. Eu liguei de volta depois de fazer minha própria pesquisa sobre doenças transmitidas por carrapatos e mostrei a eles o que eu tinha encontrado na febre maculosa das Montanhas Rochosas.”

Depois de insistir para que investigassem, os médicos então confirmaram através de exames que Mason havia contraído a rara (e potencialmente fatal) doença bacteriana. Após a descoberta, o garoto foi tratado corretamente e, finalmente, voltou à saúde perfeita.

Danielle compartilhou o relato em seu Facebook e pediu que as informações fossem espalhadas, como forma de alerta:

🛑 ✋ YOU WILL WANT TO TAKE THE TIME TO READ THIS! SHARE, SHARE, SHARE!!!Update: This story has now been put into the…

Posted by Danielle McNair on Sunday, June 3, 2018

“Ele pode ser tratado com um antibiótico e pode haver uma recuperação completa, sem danos a longo prazo, se for detectado em tempo hábil! MAS TEM QUE SER TRATADO COM O ANTIBIÓTICO CORRETO! É por isso que o primeiro antibiótico não funcionou! ”, escreveu ela.

A postagem dessa mãe no Facebook acumulou dezenas de respostas e reações. A história também foi contada em diversos veículos de comunicação.

A Febre Maculosa é causada por uma das bactérias do gênero Rickettsia que causam diversos tipos de febre maculosa pelo mundo. No Brasil, a doença é chamada de febre maculosa brasileira e nos Estados Unidos tem a adição Montanhas Rochosas, por serem as áreas mais comuns de contaminação. A infecção pode levar a uma possível amputação de membros, perda auditiva, paralisia e outras consequências graves.

É necessário ter cuidados com as crianças em locais de possível contato com qualquer espécie de carrapato. Recentemente, segundo a Fox News, a filha da americana Jessica Griffin de apenas 5 anos ficou paralisada após ser picada por um carrapato.

Compartilhe com seus amigos!