Ela foi diagnosticada depois de perceber que estava se sentindo mal por causa do trabalho. Seu antigo emprego exigia pegar muitas conduções de um lugar para outro. “Minha pele queimava como se estivesse pegando fogo. Foi quando percebi que algo estava realmente muito errado”, contou.

Viralizou em diversos portais de notícia recentemente o caso de  Julie Rohrdanz, que está ficando conhecida como “vampira da vida real”. Isso tudo porque ela possui uma alergia ao sol. A mulher possui  Erupção Polimorfa Solar, que ocorre em pessoas que são sensíveis à luz solar. Quando ela fica exposta durante o dia e entra em contato com os raios solares, sua pele fica vermelha instantaneamente. Além disso, as marcas costumam doer, arder e, dependendo do tempo em que ela fica exposta, cria bolhas que podem infeccionar. Julie contou em uma entrevista ao Metro UK que há quatro anos, quando trabalhava como gerente de vendas e passava grande parte do seu dia na rua, descobriu a doença.

Ela foi diagnosticada depois de perceber que estava se sentindo mal por causa do trabalho. Seu antigo emprego exigia pegar muitas conduções de um lugar para outro. “Minha pele queimava como se estivesse pegando fogo. Foi quando percebi que algo estava realmente muito errado”, contou.

“Como minha mãe sofria com alergia do sol, eu estava certa de que também poderia ter o mesmo tipo de alergia. Então, imediatamente visitei o meu dermatologista local que me diagnosticou com Erupção Polimorfa à luz”. “Quando a luz UVA penetra na darme, a camada mais grossa da pele, os raios UVB normalmente queimam as camadas superficiais da pele”.

Agora, Julie não pode mais sair na rua sem usar alguns acessórios de proteção. “Eu uso óculos de sol, roupas de mangas compridas, um chapéu e um lenço no meu rosto. Assim me permito sair de casa”, disse ela e finalizou: “Estou decidida a não perder a minha vida por causa desta doença”.

A Doença

A  Erupção Polimorfa Solar é a alergia de pele causada pela luz do sol. Ainda não foi totalmente esclarecido o mecanismo exato pelo qual ela acontece. Provavelmente, por mecanismo imune (de defesa). A radiação ultravioleta é facilmente absorvida pela pele e isso causa alterações diversas capazes de culminar com o aparecimento de doenças, como a erupção polimorfa.

Ela é mais comum em mulheres com a idade entre 20 e 35 anos. Os sintomas são as manchas vermelhas ou lesões elevadas, onde algumas possuem líquido em seu interior. Acompanham ainda muita coceira e ardência. São mais comuns no pescoço, ares do decote e braços, podendo ainda se estender para o abdômen, coxas e rosto.

E aí, o que você achou dessa matéria? Comenta pra gente aí embaixo e compartilhe com seus amigos.

Compartilhe com seus amigos!