Quando procuramos por representações físicas de pessoas do passado antes da fotografia existir, as únicas opções remanescentes que temos são os restos esqueléticos ou representações artísticas, às vezes imprecisas. Alguns artistas tentam repensar a aparência de uma certa rainha ou camponesa medieval, mas sua visão e imaginação limitam-se a seus próprios tempos. No entanto, a tecnologia avançou para os níveis em que podemos empregar a ciência para descrever com precisão como eram as pessoas do passado, como se estivessem vivas hoje.

Compilamos várias reconstruções que nos proporcionam um vislumbre fascinante do passado. Veja só:

1 – Henry IV da França

Henrique IV foi rei da França de 1589 a 1610, até ser assassinado por um católico fanático. Ele também era conhecido como o Bom Rei Henrique por sua grande preocupação com o bem-estar de seus súditos. Philippe Froesch criou uma reconstrução facial em 3D de Henry, usando seu crânio como base.

2 – Ava

Ava era uma mulher da Idade do Bronze que morreu 3.700 anos atrás. Ela foi encontrada em uma cova incomum para sua época. Em vez de ser enterrada no solo, como os outros, o lugar de descanso final de Ava foi esculpido em rocha sólida, o que sugeria que ela era especial. A arqueóloga escocesa Maya Hoole e o artista Hew Morrison se uniram para recriar o rosto de Ava usando sofisticados softwares e gráficos de profundidade de tecido.

3 – Meritamun

A múmia de 2.000 anos conhecida como ‘Meritamun’ foi trazida de volta à vida usando a mais recente tecnologia. Cientistas da Universidade de Melbourne usaram o crânio para determinar que Meritamun tinha entre 18 e 25 anos, cerca de um metro e meio de altura e era anêmica. Infelizmente, eles não conseguiram encontrar a causa da morte, já que o resto de seu corpo nunca foi recuperado. Para reconstruir o rosto de Meritamun, os pesquisadores usaram pesquisa médica, ciência forense, tomografia computadorizada, impressão 3D, egiptologia e arte.

4 – Um dublinense de 500 anos

Em 2014, arqueólogos recuperaram os restos de um homem que morreu há cerca de 500 anos. Ele foi um dos 4 conjuntos de esqueletos encontrados, todos os quais mostraram sinais de desnutrição infantil e trabalho manual pesado, o que sugere que todos eles eram pobres. Como um dos crânios estava bem preservado, eles o usaram para tentar reconstruir o homem de 500 anos atrás.

5 – Nicolau Copérnico

Copérnico foi um dos mais brilhantes matemáticos e astrônomos da era da Renascença, que formulou um modelo do universo que colocou o Sol e não a Terra no centro do universo. Ele morreu com a idade de 70 anos. Uma equipe forense polonesa reconstruiu esse rosto de seus restos mortais.

6 – Johann Sebastian Bach

Johann Sebastian Bach (1685–1750) foi um compositor e músico do período barroco, considerado um dos maiores compositores de todos os tempos. A antropóloga escocesa Caroline Wilkinson realizou medições dos ossos faciais de Bach para recriar uma imagem em 3D da aparência do rosto do compositor.

7 – Homem de Stonehenge do início do período Neolítico

A reconstrução da cabeça de um homem neolítico baseava-se no esqueleto de um homem adulto escavado em 1863, em Winterbourne Stoke, Wiltshire. Os especialistas usaram a análise do esqueleto para recriar o que parecia ser um homem magro nos seus 40 anos, cerca de 5.500 atrás, 500 anos antes do primeiro monumento em Stonehenge ser construído.

8 – Jane de Jamestown

Jane era uma jovem garota de 14 anos de idade que foi canibalizada por seus co-colonos do século 17 em Jamestown. Seu crânio mutilado e osso da perna decepado foram encontrados em 2012, entre ossos de animais massacrados e restos de comida, em um porão de Jamestown. O Dr. Douglas Owsley, principal antropólogo forense do Museu Nacional de História Natural da Smithsonian Institution, examinou os ossos e determinou que os cortes e marcas neles eram provenientes de uma tentativa de separar tecido e cérebro dos ossos. Owsley concluiu que foi um caso de canibalismo, já que as marcas eram consistentes com outros casos de canibalismo e com o fato de o povo de Jamestown ter morrido de fome durante o inverno de 1609-1610.

9 – Mãe biológica do rei Tutancâmon, provavelmente Nefertiti

Testes de DNA revelaram que uma múmia conhecida como “a Jovem Senhora” é a irmã de Akhenaton (pai de Tutancâmon) e mãe de Tutancâmon. Embora sua identidade não tenha sido totalmente identificada, muitos acreditam que os restos pertencem à rainha Nefertiti, a Grande Esposa Real de Akhenaton. A paleoartista Élisabeth Daynès usou o scan da “Jovem Senhora” para reconstruir um busto da rainha egípcia.

10 – Maximilien de Robespierre

Maximilien de Robespierre foi um político e advogado francês, mais conhecido por seu papel na Revolução Francesa (1789–1799) e no Reino do Terror. Ele guilhotinado em 28 de julho de 1794, com a idade de 36 anos.

Os cientistas usaram sua máscara mortuária, bem como registros históricos detalhando a história médica de Robespierre para reconstruir seu rosto e determinar as doenças que ele sofreu.

Vários sinais clínicos foram descritos por testemunhas contemporâneas: problemas de visão, hemorragia nasal (“ele cobria o travesseiro de sangue fresco a cada noite”), icterícia (pele e olhos amarelos), astenia (cansaço contínuo), úlceras recorrentes nas pernas e doenças faciais da pele associadas a cicatrizes de uma infecção prévia por varíola. Historiadores especulam que ele sofria de sarcoidose. Ele também tinha contrações permanentes nos olhos e na boca. Os sintomas pioraram entre 1790 e 1794. Na véspera de sua decapitação, Robespierre sofreu uma ferida de arma de fogo na mandíbula em circunstâncias duvidosas.

[Bored Panda]

Compartilhe com seus amigos!